quinta-feira, 27 de março de 2014

Compartilhando a "Mini - Palestra" do 5º Encontro


imagem google


REATIVIDADE DO SER HUMANO

Por Davi Fonsi


O homem, além de ser um ente espiritual é antes de tudo, um ser anímico, que percebe o mundo a sua volta pelos cinco sentidos. Os sentidos proporcionam as impressões sensoriais únicas para cada ser humano, cada qual percebe as coisas a sua volta de maneira diferente. Somando-se aos sentidos estão os sentimentos que despertam no homem as emoções. É por intermédio dos sentimentos que temos a sensação de prazer e desprazer quando experimentamos coisas pelos sentidos, como: música, temperatura, textura, fragrâncias, sabores etc. Das sensações experimentadas vem o desejo e a vontade. O mundo exterior exerce forte influencia no seu mundo interior, estes dois mundos coexistem em constante confrontação, a alma se contrapondo ao mundo exterior de acordo com os estímulos recebidos. Assim o homem cria uma realidade própria e única, alicerçado em sua corporalidade.

O homem é também um ser trino, possui três corpos o físico, o mental e o emocional. A natureza nata do homem é utilizar de forma equilibrada os três corpos para interagir com o mundo exterior. No entanto, o homem vive constantemente reagindo contra tudo que vem no mundo externo impulsionado pelos seus sentidos e emoções. O processo da evolução humana passa por reverter este estado de reatividade para o estado de pró atividade, onde as atitudes negativas são transformadas em atitudes positivas.

E somando-se a isto, a de se considerar também que o homem coexiste em duas dimensões distintas, a material e a espiritual, o mundo material percebido pelos sentidos e a espiritual percebido pela nossa intuição e sentida pela alma. Tudo que existe na dimensão material vem do mundo espiritual. No inicio só existia DEUS, “doravante designado como Luz”. A Luz divina era emanada para todo o espaço vazio, e foi a Luz que criou os universos com seus luminares e tudo quanto conhecemos como galáxias, estrelas, planetas e a vida tal qual conhecemos. Naturalmente se fomos criados, somos criaturas e, como tal somos o efeito de algo que foi a causa.

O homem em particular foi criado para se tornar cocriador, ou seja, deixar de ser o efeito para se tornar a causa, a causa da sua própria realidade, e enquanto efeito viveremos no mundo da matéria, o efeito é portanto a consequência da ação reativa. Na condição de seres proativos
seremos a causa, deixaremos de estar na matéria para nos tornar seres espirituais embora, ainda tenhamos um corpo animal.

Características da Proatividade: Características da Reatividade

- Ser a Causa - Ser o Efeito
- Ser o Criador - Ser a Criatura
- Estar no Controle - Ser Controlado
- Compartilhar - Apenas receber

A Luz foi a causa, e, portanto está no controle e compartilha infinitamente, a criatura é o efeito é controlada e apenas recebe. Esta foi idéia original da criação, criar um recipiente para receber a Luz sem fim, é assim que todo o universo é mantido em harmonia.

A Luz fez o homem a tua imagem e semelhança e, sendo assim, nos deu a sua natureza divina, e como tal temos que manifestar em nossas vidas as suas características a de ser proativo, ou seja, cocriadores.

O homem criou a separação da Luz para poder se tornar a causa e deixar de ser o efeito, porém ao criar a separação o homem foi evolvido pelo ego, que maculou seus desejos a partir dos sentimentos do egoísmo, da ganância, da inveja, da raiva, do ódio etc. E para atender ao seu ego o homem voltou a ser reativo, pois se tornou o efeito do ego separado da fonte original da Luz.

A reatividade é qualquer reação que temos em resposta a estímulos externos que estejam carregados pelo medo, raiva, inveja ciúme, orgulho, baixa estima vingança etc.

O propósito da Vida é a Transformação Espiritual, transformar a força reativa em força proativa, este é o caminho da plenitude, à volta para casa.

- Quando reagimos estamos apenas sendo o efeito;
- Quando não observamos nenhuma mudança em nossas vidas, fica claro que não estamos criando nada de novo, e, portanto, somos a apenas o efeito;
- Quando as forças externas influenciam os nossos sentimentos tanto para o bem quanto para o mal estamos nos entregando ao controle.
- Quando demonstramos comportamento autocentrado e egocêntrico, não estamos compartilhando apenas recebendo a gratificação do ego.

Como podemos identificar a nossa reação? Cito aqui alguns exemplos:

1- Prazer nos bens adquiridos: Muitas vezes já estivemos diante de situação onde experimentamos prazer e felicidade quando adquirimos um bem, como um carro novo, roupas etc., percebemos que este estado de felicidade vai se esvaindo com o tempo. Isto ocorre, pelo fato desta felicidade ser o efeito da compra do bem, portanto a causa é externa.

1.1 – Proativo: A plenitude e a suprema felicidade residem em manifestar a natureza divina que existe em nós, em sendo assim, a nossa felicidade não virá de coisas materiais, pois estaremos conectados a fonte primaria da plenitude.

2- Drogas: As drogas podem proporcionar muito prazer a quem as utiliza, no entanto após passar seu efeito o ser humano cai num vazio muito grande, proporcional ao prazer experimentado.

2.1- Proativo: As pessoas plenas não necessitam de ser preenchidas artificialmente.

3- A vingança: É normal sentir prazer ao realizar uma desforra, mas a contrapartida é o remorso, arrependimento etc.

3.1 – Proativo: O mestre Jesus diz em seus ensinos, “quando lhe baterem na face ofereça-lhe a outra”, esta frase poderia vir em conjunto com outra frase por Ele pronunciada “ame o teu inimigo”. O que ele quis dizer com tudo isto? Oferecer a outra face significa entender porque fomos merecedores da ofensa, naturalmente provocamos esta situação, e é o nosso inimigo que vem nos alertar do mal que estamos fazendo, daí entender o porquê amar o inimigo.

4- Fazer o bem: Algumas pessoas fazem o bem, não pelo fato do bem, mas pelo fato de serem reconhecidas como pessoas generosas e boas. Neste exemplo também se observa a reatividade, o ego buscando ser enaltecido.

4.1- Proatividade: Quando ajudamos a uma pessoa temos que resistir a idéia de buscar reconhecimento, quando assim o fazemos é o nosso ego.

Reagir às situações é se manter na dimensão material e colher o fruto da infelicidade, agir de forma proativa frente às dificuldades e se conectar a dimensão espiritual e experimentar a plenitude, além de eliminarmos a vergonha de ter o que não merecemos a nossa existência na terra é para fazer esta transformação.

Como realizar a transformação: Quando um desafio acontece, a reação é o problema e não o desafio. Quando fechamos o nosso sistema reativo abrimos espaço para a Luz, e desta forma manifestamos a nossa natureza divina com ações proativas, assim a alma se une a dimensão espiritual.


Fontes:
BERG, YEHUDA - "O poder da Kabbalah"
STEINER, RUDOLF - "Teosofia"